Home > newsletter, Notícias > Brasil vai sobretaxar pneus da China

Brasil vai sobretaxar pneus da China

Brasil vai sobretaxar pneus da China

19/06/200913:18Agência Estado

O Brasil vai sobretaxar, por cinco anos, a importação de pneus de carga da China, utilizados em ônibus e caminhões. O valor fixado pela Câmara de Comércio Exterior (Camex) varia de US$ 1,12 a US$ 2,59 por quilo do produto conforme o fabricante.

A decisão já está em vigor.

A investigação por prática de dumping, que é vender abaixo do preço de custo, começou em maio de 2008 a pedido da Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (Anip). Em dezembro do ano passado, a Camex já havia aplicado direito antidumping provisório por seis meses de US$ 1,33 por quilo.

A investigação, que foi conduzida pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério do Desenvolvimento, concluiu que as importações de pneus chineses causaram dano à indústria local. “Constatou-se que as importações chinesas provocaram o deslocamento da parcela de mercado ocupada pela indústria doméstica”, informa o relatório da Camex, publicado no Diário Oficial.

Conforme o documento, a participação da China no consumo brasileiro de pneus de carga subiu de 0,3% para 9,6% entre abril de 2003 e março de 2008, período considerado pela investigação. As importações de pneus de carga vindos da China cresceram 5.317,4%.

Também foi verificado que o preço médio do produto doméstico caiu enquanto houve expansão das exportações da China para o Brasil. “A indústria doméstica, buscando evitar perda mais acentuada de sua participação, deprimiu seus preços, o que gerou efeitos negativos em suas margens”, diz o relatório.

“O resultado foi positivo e acreditamos que as importações vão começar a cair”, afirmou Eugênio Deliberato, presidente da Anip, que reúne Goodyear, Bridgestone Firestone e Pirelli. Segundo ele, as importações de pneus de carga cresceram cerca de 60% de janeiro a maio, apesar da tarifa provisória.

O empresário acredita que a “desova” de pneus chineses provocada pela crise reduziu o impacto do direito provisório, mas agora será diferente, pois a taxa definitiva é mais alta. “A China já tinha uma excedente natural de produção. Com a queda das vendas nos Estados Unidos e na Europa, aumentaram os embarques para o Brasil.”

A produção de pneus de carga na China chega a 450 milhões de unidades – 150 milhões por multinacionais e 300 milhões por fabricantes locais, conforme a Anip. É uma escala de produção muito superior às 60 milhões de unidades do Brasil.

As empresas atribuem os fracos resultados à crise e aos importados. Segundo a Anip, as vendas de pneus de carga no País caíram 30% para as montadoras e 8% para o mercado de reposição, de janeiro a maio.

A Secex investiga também dumping nas importações de pneus chineses para carros e para bicicletas. Estão em andamento ainda mais sete processos contra a China por práticas ilegais de comércio. A lista abrange seringas descartáveis, fios de viscose, filmes plásticos, discos ópticos graváveis, canetas esferográficas, magnésio metálico e calçados.

newsletter, Notícias

..